• Andressa Rovani

Net Zero: plataforma de jornalismo de negócios ESG

Disseminar boas práticas empresariais para que elas tenham o poder de replicar iniciativas e transformar o mundo em que vivemos. Com essa missão, nascia, há seis meses, a plataforma NetZero, um hub de conteúdo dedicado à cobertura dos avanços da pauta ESG no Brasil.


NetZero se dedica essencialmente à cobertura dos avanços da pauta ESG nas empresas brasileiras, com foco na intersecção conhecida como innovability, palavra que simboliza a junção de esforços nos campos de inovação e sustentabilidade em prol da transformação ambiental, social e de governança.


O projeto editorial é fruto da união de expertises do Projeto Draft, site devotado à inovação e empreendedorismo, e da Ideia Sustentável, consultoria em sustentabilidade. A iniciativa tem como sócios Adriano Silva, fundador e CEO do Projeto Draft, e Ricardo Voltolini, CEO e fundador da Ideia Sustentável e da Plataforma Liderança com Valores.


Com seis meses de vida, a plataforma já fez mais de 130 reportagens com empresas de todos os portes e diversos setores. Contou, por exemplo, como a Embraer planeja transformar o modo de locomoção nos grandes centros urbanos com seu carro voador, explicou os benefícios que o mercado de carbono pode trazer para a economia brasileira e deu voz a especialistas em relatórios de sustentabilidade, entre outras tantas abordagens.


“A plataforma NetZero surgiu para ser uma referência das melhores práticas empresariais brasileiras em ESG. Nós queremos dar visibilidade àqueles que estão querendo fazer a revolução ao mesmo tempo em que compartilhamos as melhores práticas. Queremos estimular todos os demais da cadeia a fazer a coisa certa e a ter uma visão do setor para tomar as melhores decisões. Essa é a nossa principal missão: realizar um jornalismo de negócio”, explica Adriano Silva, que é fundador e publisher das plataformas digitais Projeto Draft e Future Health.


Empresas de diferentes portes e setores têm liderado essa agenda no Brasil e no mundo, contribuindo com seus recursos e experiências para acelerar a transformação. Para dar mais visibilidade ao que essas marcas estão fazendo na área e para compartilhar histórias de forma a inspirar e a instrumentalizar todos os demais stakeholders, NetZero atua como um agente de engajamento.


Um dos responsáveis pela plataforma NetZero é Ricardo Voltolini, autor de 11 livros sobre o tema e um dos primeiros consultores em sustentabilidade empresarial do Brasil. “O tema sustentabilidade evoluiu e passou a ser mais estratégico, porque impacta no valor dos negócios. Virou um tema de CEO, de conselho, e passou a ter metas, métricas e compromissos públicos. Os investidores estão cada vez mais atentos às marcas que produzem impactos positivos e ESG vem como um novo filtro para a análise de riscos ligados às externalidades dos negócios. É um tema que veio para ficar e que vai mudar ainda mais a forma como faremos negócios nos próximos tempos”, ressalta Voltolini.


O hub oferece um espaço para troca de informação e de conhecimento para todo o ecossistema ESG brasileiro: líderes e tomadores de decisão nas áreas de Sustentabilidade, Relações com Investidores, Financeiro, Comunicação e Marketing em grandes empresas, empreendedores digitais, investidores e membros de conselhos.


Mas por que falar de ESG é importante? Há dois anos, uma carta de Larry Flink, presidente da BlackRock, maior gestora de fundos do planeta, deixava claro que, a partir dali, sustentabilidade se tornaria um parâmetro relevante para a alocação de recursos nas empresas. Pouco mais de dois anos depois, três letras entraram definitivamente para a agenda das empresas: ESG, que fazem referência, em inglês, às questões ambiental, social e de governança.


Uma espiada nas tendências dos termos buscados no Google mostra que ESG desperta interesse cada vez maior nos internautas, indicando a popularização cada vez maior do tema. A pandemia fez aflorar a urgência das questões sociais, como o combate à desigualdade de gênero e racial, respeito à diversidade e valorização dos funcionários.


Mas foi na questão ambiental que a agenda ESG se estruturou ao longo de 2021. A COP26 (Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas), que aconteceu em novembro, reforçou a atenção do mundo para a questão do aquecimento global e a necessidade de se assumir compromissos para a contenção do aumento da temperatura do planeta. “O nosso vício em combustíveis fósseis está levando a humanidade ao limite. Ou isso nos para, ou paramos com isso”, disse António Guterres, secretário-geral da ONU, em discurso no primeiro dia de evento.


Com esse cenário, o tema ESG tem ganhado cada vez mais espaço de discussão e tornou-se pauta prioritária para lideranças que estão atentas ao futuro de seus negócios. NetZero https://netzero.projetodraft.com/ quer ser o ambiente em que essas ideias se encontram.



Andressa Rovani é editora-chefe da plataforma NetZero e tem mestrado em economia internacional e desenvolvimento.