Leitores aprovam a Revista da Reputação

96,67% dos leitores que responderam à pesquisa sobre os sete primeiros números da Revista da Reputação concordam que cumprimos com a nossa missão de promover um debate qualificado sobre o que impacta positiva e negativamente na reputação das marcas.

 

Ao atingirmos a marca de cem títulos publicados em nossas páginas e no site, realizamos uma pesquisa de satisfação com os nossos leitores. Os objetivos eram saber se estávamos cumprindo com a nossa missão de promover um debate qualificado, quais temas os leitores gostariam de ver nas páginas da Revista da Reputação, assim como gostaríamos de conhecer um pouco mais o perfil e as opiniões de nossos leitores.

 

Para coletar as respostas, enviamos o link para o questionário em uma newsletter para os cerca de 500 e-mails cadastrados em nossa base para recebimento da Revista e o divulgamos em nossas redes sociais Facebook, Twitter, Instagram. A editora da Revista, Tatiana Maia Lins, também divulgou o link em seu perfil no LinkedIn e em alguns grupos que participa no Whatsapp. No total, 30 pessoas responderam ao questionário, no período entre 17 e 24 de maio de 2017.
 

Leitores são pós-graduados, profissionais sênior e fiéis

Mais da metade dos respondentes possuem algum tipo de pós-graduação completa (53%) e 43% possuem nível superior. 70% dos leitores têm entre 36 e 59 anos, o que indica que podem exercer cargos com níveis elevados de tomada de decisão por não estarem mais na faixa etária que tradicionalmente abraça os estagiários e profissionais júnior. 40% deles conheceram a Revista por indicação de amigos.

 

26% conheceram a revista via convite para publicar ou como entrevistado (a)

 

13% conheceram a revista pelas redes sociais

 

3% conheceram a revista por menções na mídia

 

70% consideram a revista muito interessante. 0% a considerou mediana ou fraca

 

0% dos leitores afirmou que só entrou no site uma vez e não voltou.

 

50% dos respondentes leem as matérias sempre que sabem que há novidades no site

 

Leitor afirma usar as matérias da Revista da Reputação como referência
A pesquisa não perguntou nome e dados que pudessem identificar os respondentes, de modo a deixá-los em uma situação o mais confortável possível para dar feedbacks genuínos e livres de vieses. Incluímos perguntas de múltipla escolha e resposta obrigatória e outras abertas, que perguntavam quais matérias a pessoa mais havia gostado, sugestões de assuntos a abordar e um espaço livre para comentários de qualquer natureza.

 

Em geral, as matérias citadas como as que mais agradaram foram as de capa (Samarco, Carne Fraca, Olimpíada, Eike Batista e Impeachment). Mas, para nossa surpresa e alegria, houve também quem citasse uma série de autores, de diferentes números, em uma única resposta “Matérias de: Marco Túlio Zanini, Nara Almeida, Ingo Plöger, Denise Pragana, Paulo Moura, Camila Andrade, Rodrigo Hilário, Cristina Malfati. Também sobre Samarco e Diferenças entre Imagem e Reputação e Carne Fraca” e quem afirmasse usar as matérias como referência para o trabalho. “Gosto da temática da revista e a uso como referência. Não me recordo de uma matéria específica que tenha me instigado mais ou menos nesse momento”, afirmou um leitor, enquanto outro disse “Quase todas foram relevantes para mim e para meu trabalho!”
 

Temas sugeridos são amplos e passam por política, governança e cases de empresas
A pergunta sobre quais temas os leitores gostariam de ver na Revista da Reputação rendeu ótimas sugestões, que agradecemos e já começamos a colocar em prática. Um dos respondentes usou o espaço para elogiar a edição, afirmando “Acho que você equilibra bem, traz cases... tem coberto os temas atuais e, se eu tiver sugestão, falo. Gosto especialmente do tom corajoso e que demonstra que não há comprometimento com ninguém ou com empresas.”

 

Entre as sugestões, apareceram temas como “Profissionalização e inovação no gerenciamento de crises, impactos das redes sociais, paradigmas da comunicação em crises.”, “análise de cases”, “corrupção nas grandes empresas.”, “mais entrevistas”, “um pouco mais de política”, “como construir boa reputação na política brasileira”, “mais crises reputacionais voltadas a cases comportamentais internos e externos nas organizações, como discriminação, assédio etc”, “reputação online”, “como avaliar ética profissional”, “políticas de compliance e combate à corrupção”, “mais reportagens com temas já abordados como: gênero e telhado de vidro, lideranças e recuperação institucional do Brasil” e “Mariana (MG) Como ficou a reputação institucional da cidade e suas vizinhas fronteiriças?”.

 

Please reload

© DNA Criativo