Ranking Reputation Dividend Brasil 2016

Mesmo em condições econômicas adversas, há empresas do Ibovespa com bons rendimentos para seus acionistas. O segredo? A boa reputação, ativo que chega a contribuir com entre 15% e 43% do valor de mercado destas companhias, totalizando US$89 bi.

 

No último dia 05 de julho, a inglesa Reputation Dividend, em parceria com a brasileira MZ”, divulgou o seu ranking Brasil 2016 com o prêmio de reputação das empresas listadas no índice Ibovespa.

 

Para quem não está familiarizado com o termo, “prêmio de reputação” representa o quanto do valor de mercado de uma empresa vem de sua reputação. E, nas vinte empresas mais bem colocadas neste ranking, ou seja, as que possuem maior prêmio de reputação, este ativo intangível totalizou US$ 89 bilhões em maio de 2016.


Para Simon Cole, CEO da Reputation Dividend, “embora o mercado acionário no Brasil esteja enfrentando condições excepcionalmente difíceis, algumas empresas estão conseguindo aliviar a dor e mitigar a pressão descendente no seu valor de mercado por meio de uma gestão mais eficaz da reputação. Como resultado, nós observamos que essas empresas brasileiras apesentam um desempenho similar ao das companhias integrantes dos índices S&P e FTSE, onde a gestão do valor da reputação encontra-se em estágio mais desenvolvido”.


Protagonistas, as vinte empresas com os melhores prêmios de reputação do Ibovespa possuem reputação corporativa que contribui, individualmente, com 15% a 43% de seu valor de mercado. 


A Ambev é a empresa líder em prêmio de reputação, com 43% de valor de mercado proveniente deste ativo. A Cielo, que ocupou o primeiro lugar no ranking do ano passado com 45%, este ano aparece na quarta posição, com 36% de seu valor de mercado proveniente de reputação. Já a Ambev está em primeiro lugar este ano, mas mantém a mesma proporção de 2015. A Smiles, em segundo lugar em 2015 com 45% de prêmio de reputação, não aparece na lista de 2016. A Klabin, segunda colocada este ano, pulou dez posições em relação à lista anterior.

 

Ranking Reputation Dividend Brasil 2016

 

 


Segundo o relatório, estes resultados revelam a capacidade de várias empresas brasileiras no desenvolvimento de seus ativos de reputação. No entanto, eles também indicam sinais claros de uma polarização crescente entre as empresas. O impacto econômico das reputações de 40% das empresas do Ibovespa foi para cima enquanto que para os outros 60%, foi para baixo. Nas empresas em que o prêmio aumentou, a média de acréscimo foi de 10,9 pontos percentuais ao longo do ano, em comparação com um declínio de 16,2 pontos percentuais nas empresas onde o prêmio diminuiu. O Ibovespa tem sido desafiador para investidores, mas é evidente que a “dor” foi muito reduzida para os acionistas de empresas que sagraram sucesso na construção de seus ativos de reputação.

 

CLIQUE AQUI e veja a apresentação completa de Simon Cole durante o evento de lançamento da Plataforma Engage-X, dia 28 de junho de 2016, em São Paulo. 

Please reload

© DNA Criativo